BLOG

10c57ee7-9d0c-4bb2-acf6-fd63d0577588-Neil Shapiro using a typewriter

O que o jornalismo pode ensinar ao marketing?

Conteúdo é a palavra de ordem de 8 em 10 estratégias de marketing, todas englobando milhares de palavras em inglês, termos pomposos e uma pequena porcentagem de noção de realidade. Content marketing, branded content e mais uma dúzia de denominações servem hoje para mostrar que a publicidade e o jornalismo estão formando um belo casal e que não, não precisam se odiar tanto como antigamente.

O que vejo hoje em dia são profissionais de marketing, analistas de mídias sociais e outros comunicadores dizendo que produzem conteúdo. Mas produz como? O que, exatamente, é chamado de conteúdo?

Vamos segmentar a discussão para a internet. Muito do chamado conteúdo não é nada mais do que simples replicação, ou seja, uma curadoria porca do que já foi massivamente divulgado por aí. Ok, tudo bem divulgar as highlights do seu segmento no seu blog ou Facebook, mas não imagine que esse seja o único trabalho de um desenvolvedor de conteúdo. A curadoria pode ser boa sim, como fazem sites como o Cool Hunter, o Bem Legaus, o Oddity Central e tantos outros que pesquisam e publicam o que há de melhor em seus assuntos. O Pinterest tá aí pra ajudar, não é mesmo?

Mas, e o que você pode fazer além disso?

Pra começar, é preciso haver planejamento e estratégia. O que a sua marca, empresa, ou cliente gostaria de dizer? Ser uma fonte de informação relevante é uma boa meta e se essa for a sua, vamos lá.

O que está acontecendo na internet atualmente aconteceu com as revistas há pelo menos uns 20  anos, quando elas começaram a ser cobiçadas pelas empresas no Brasil. Revistas corporativas pipocaram nas décadas passadas porque, além de serem um veículo de alto “shelf time” – ou seja, o leitor leva pra casa e guarda por um tempo – elas também agregam valor à empresa. De que maneira? Sendo fonte de informação para um público exigente, graficamente atraente e com conteúdo exclusivo.

Entrevistas com personalidades, matérias interessantes e inéditas, temas ligados à cultura e comportamento, jornalistas renomados assinando os textos e fotógrafos-artistas fazendo os cliques são alguns dos itens que não podem faltar nas revistas corporativas que querem atingir o grau máximo de confiabilidade e chegar no patamar de qualidade das demais publicações da mídia tradicional.

Esse era o pai do content marketing que as gerações Y, Z, C e adjacentes tanto falam hoje. E quem quiser estudar um pouco o modelo dessas belezinhas, eu sugiro que deem uma olhada na Revista V (da Volkswagen), na Sorria (da Droga Raia), na Airborne© (da TAM), na Red Bulletin (da RedBull). E lembrem-se também da Revista Jovem Pan, a primeira publicação editada pela Trip, que tem um braço dedicado exclusivamente a projetos corporativos. Hoje em dia, editoras e agências especializadas neste mercado fazem um ótimo trabalho com redações equipadas e profissionais qualificados, como é o caso da New Content.

Como levar um bom conteúdo para os meios digitais?

Concept image with What is Your Story printed on an old typewriter

Se você é profissional da área, certamente já pensou em fazer um blog, certo? O blog é uma das plataformas mais populares quando o assunto é marketing de conteúdo, muitas vezes por ser de manutenção barata ou até mesmo grátis, para os menos exigentes.

Muitas coisas podem ser feitas em um blog e abaixo listamos alguns passos primordiais para você fazer um bom trabalho.

  • Pergunte-se: com quem eu estou falando? Que linguagem esse público usa?
  • Respondida as questões anteriores, é hora de estruturar: defina seções, editorias, colunas e colaboradores. Por que não fazer parcerias com profissionais do ramo ou clientes que topem o desafio? Quanto mais conteúdo melhor.
  • Estabeleça um planejamento. Reserve algumas horas para pesquisar, ler artigos, seguir perfis relevantes no Twitter, ficar por dentro das matérias do segmento da sua empresa, etc. Não se restrinja aos portais e blogs nacionais. Gaste seu inglês e vá mais fundo.

Determine uma rotina de trabalho, por exemplo:

  1. Segunda – entrevista com cliente
  2. Terça – falar sobre uma tendência no mercado
  3. Quarta – post de convidado
  4. Quinta – Contar a história de um funcionário da empresa
  5. Sexta – fotos da semana

E assim por diante.

  • Faça entrevistas, use o telefone, levante a bunda da cadeira. Conteúdo bom e inédito precisa de pesquisa e trabalho. Use as técnicas jornalísticas a seu favor.
  • Utilize as mídias sociais para divulgar sua produção. De nada adianta ficar esperando as visitas chegarem.
  • Aplique técnicas de SEO e produza um texto amigável aos mecanismos de busca.

O assunto é longo e pode ser desdobrado em outros trocentos posts. Mas isso fica pra depois e espero poder voltar para a gente discutir um pouco mais o conteúdo que produzimos atualmente.

*Artigo originalmente publicado no portal Midiatismo

Francine Micheli

oitudobem@escconteudo.com

NO COMMENTS

POST A COMMENT